GALERIA DOS PRESIDENTES

Pr. Elienai Cabral

Biografia Pastor Elienal Cabral

Elienai Cabral, nascido aos vinte e três dias do mês de dezembro do ano de mil novecentos e quarenta e cinco (23.12.1945), na cidade de Mafra, Santa Catarina, é filho de Osmar Cabral e Jardelina Cabral. Seu pai foi Pastor de várias igrejas naquele Estado e tem sua história marcada pelo pioneirismo pentecostal naquela terra. Elienai, desde de muito novo sentiu uma chama arder em seu peito por amor à obra do Mestre. Ao longo de sua infância e juventude, ele passou por muitas privações e dificuldades, além das perseguições que se faziam naquela época contra os evangélicos.

Desde menino dedicou-se a testemunhar de Cristo e à musica. Foi maestro ainda na adolescência de corais em algumas cidades catarinenses e, em 1963, teve uma experiência vocacional da parte de Deus muito forte, quando, aconselhado e ajudado por John Peter Kolenda, resolveu dedicar-se ao ministério eclesiástico. Em 1964 até 1965 esteve no (IBAD) Instituto Bíblico das Assembleias de Deus em Pindamonhagaba SP, onde foi moldado e preparado no conhecimento da Palavra de Deus para desenvolver seu ministério. Espantosamente, aos 21 anos de idade foi ordenado ao Santo Ministério de Evangelista, em 06 de Janeiro de 1966, na cidade de Itajaí SC. Por decisão da Convenção de Santa Catarina, foi trabalhar na cidade de Rio do Sul, como obreiro auxiliar naquela igreja sob o pastorado de João Eduardo Carvalho. Trabalhou naquele campo por um ano, de janeiro de 1966 a fevereiro de 1967. Recebendo um convite do Pastor Bernhard Johnson Jr. Para formar uma equipe de Evangelistas que trabalharia em todo o Brasil e no exterior realizando cruzadas evangelisticas, em 15 de março de 1967, uniu-se a Equipe de Boas Novas, presidida pelo Pastor Bernhard Johnson e fielmente trabalho na “Good News Cruzade” até janeiro de 1976. Nos dois primeiros anos dentro da Cruzada Boas Novas, o pastor Bernhard Johnson apresentou Elienai Cabral para uma segunda ordenação, neste caso, para Pastor e, no dia 18 de agosto de 1968, assim aconteceu na Convenção do Estado de Minas Gerais, no Triangulo Mineiro.

Nas Cruzadas Evangelísticas, o Pastor Elienai Cabral dirigiu os programas radiofônicos, e nas cruzadas, além de participar da direção dos cultos, foi o cantor oficial durante todo o tempo em que esteve na Cruzada Boas Novas. Gravou alguns discos os quais se tornaram conhecidos no Brasil inteiro e no exterior.

Pr. Elizeu Menezes de Oliveira

Biografia Pr. Elizeu Menezes

Nascido em 16 de setembro de 1929, na cidade fluminense de Cambuci, o pastor Elizeu Menezes de Oliveira procede de um lar cristão. Filho de Augusto Alves de Oliveira e Edna Menezes de Oliveira, crentes da igreja Batista, o pastor teve uma orientação totalmente evangélica. Casou-se com Idenir de Oliveira, em 8 de novembro de 1952. Dessa união nasceu Léa de Oliveira Barbosa, única filha do casal.

Ainda em tenra idade, seguiu com os pais para a cidade de Colatina – ES. Seu pai, ainda que lavrador, possuía uma boa formação. Era diácono e músico, fato este que contribuiu para que os seus filhos fossem vocacionados para a área musical.

Antes de completar dezessete anos, seus pais o encaminharam ao Colégio e Seminário Batista, na cidade do Rio de Janeiro, a fim de receber o devido preparo para o ministério pastoral.

Durante cerca de três anos permaneceu no Colégio Batista, estudando e trabalhando com o pastor Edinéser Farias, na 2ª Igreja Batista em Duque de Caxias, exercendo a função de co-pastor. Foi o primeiro regente do Coral daquela igreja que recentemente comemorou o jubileu de ouro. O Pr. Elizeu Menezes foi o primeiro regente daquele coral. Em Colatina, seu pai veio a sofrer um acidente, onde perdeu um braço. Tal fato contribuiu para sua saída do Colégio Batista, passando a estudar em colégios particulares, uma vez que precisava trabalhar de dia e estudar à noite.

Foi um período de grande dificuldade. Tal fato contribuiu para sua saída do Colégio Batista, passando a estudar em colégios particulares, uma vez que precisava trabalhar de dia e estudar à noite. Foi um período de grande dificuldade.

Já noivo da irmã Idenir de Oliveira, a família dela passou por uma experiência tremenda. Um amigo da família ao reencontrar-se com o então futuro sogro do Pr. Elizeu, deu testemunho de haver sido curado de tuberculose em estado terminal, no hospital do Caju, pela oração de um grupo da Assembléia de Deus de São Cristóvão. A partir desse acontecimento todos tiveram conhecimento da obra pentecostal, inclusive o Pr. Elizeu.

Em janeiro de 1951 passou da igreja Batista para AD de Duque de Caxias, pastoreada pelo Pr. Belarmino Pedro Ramos.

Como já possuía uma certa experiência ministerial, a igreja da qual agora era membro o aproveitou para ministrar na EBD e cultos, de modo que sua ascensão foi bastante rápida.Como naquela época a AD não consagrava ao diaconato, solteiros, teve que esperar até o casamento, que aconteceu em novembro de 1952. Meses depois foi consagrado ao diaconato

O sogro do Pr. Elizeu foi batizado com o Espírito Santo já no segundo dia de AD, orando em casa com um outro irmão. Um mês depois a então noiva foi batizada, e mais quinze dias ele também foi.

Foi separado para o presbitério em 1954 e ordenado a pastor no dia 18 de janeiro de 1964, pela CEADER, por indicação do Pr. Antônio Quintela. Sua inscrição na CEADER é a de nº 23.

Após a ordenação, continuou como vice-presidente do campo até 1967. Ainda trabalhava na Fábrica Nacional de Motores (lá trabalhou por 16 anos e meio, sendo nos últimos sete anos tradutor técnico de Italiano e Francês). Mudou-se para Jardim Primavera, onde foi eleito vice-presidente daquela Assembléia de Deus.

Assumiu a gerência da EMPREVAN – Empreendimentos Evangélicos, liderado pelo Pr. Carlos Hultgren, sucessor do Pr. Orlando Boyer. Simultaneamente passou a trabalhar na Cruzada Evangelística Bernardo Johnson.

Em 10 de dezembro de 1968 assumiu a presidência da AD de Além Paraíba – MG. Em janeiro de 1973 atendendo convite, tornou-se vice-presidente da AD de Bela Vista, Fortaleza –CE. Em 16 de setembro de 1973 retornou ao Rio, tornando-se o pastor-presidente da AD em Xerém, e em 6 de novembro do mesmo ano assumiu a presidência da AD em Imbariê – RJ.

Em 29 de janeiro de 1977 transferiu-se para Brasília a fim de pastorear a AD na L-2 Sul, onde permaneceu por dez anos. Em junho de 1977 fundou, juntamente com outros pastores, a convenção em Brasília. Os obreiros que lá estavam eram filiados à CEADER, cujo presidente era o Pr. Valdir Araújo. Foi eleito o primeiro presidente da CEADIF e durante treze anos foi reeleito.

Alguns meses depois de sua saída da Igreja do Plano Piloto, assumiu a direção da AD de Taguatinga Norte, permanecendo lá por seis anos e quatro meses.

Em 1993, O Pr. Geziel Gomes o convidou para assumir a ADIG. Foi uma mudança traumática em sua vida. Recebeu um telefonema ao meio-dia de sábado, 31 de julho de 1993. Pensou que tivesse tempo suficiente, porém, no dia 7 de agosto, às 22h25min assumiu a presidência da ADIG, ainda presidente da AD em Taguatinga. Sua saída foi traumática em virtude da AD de Taguatinga se encontrar, na época, muito bem. Humanamente falando não havia nenhuma necessidade de transferência. No entanto, como lhe é próprio, aceitou o convite crendo que sua presença na ADIG seria importante para o Reino de Deus.

Aliás, o ministério do Pr. Elizeu tem sido marcado por grandes desafios. Para ele quanto mais carente estiver a igreja mais à vontade ele se sente para, na direção do Espírito Santo, trabalhar. Aqui está, sem dúvida, uma das razões porque a ADIG já é a sexta igreja por ele pastoreada.

Sempre que lhe é possível, aconselha aos pastores mais novos para que vejam uma transferência com bons olhos. Para o Pr. Elizeu, tanto a igreja quanto o seu pastor são beneficiados.

Inquirido acerca de seu sucesso ministerial, o Pr. Elizeu destacou alguns princípios que julga importantes: “Confiança. Fechar os olhos como Abraão. Meu ministério é apoiado sobre três colunas: Creio em Deus que nunca falhou nem vai falhar. Tenho plena convicção de minha chamada e de minha condição ministerial. Confiança na minha pessoa. Sempre confiei desde solteiro. Acredito em mim. Se ninguém acreditar em mim, continuarei acreditando”.

Outra mudança da vida ministerial do Pr. Elizeu é o amor que dedica às ovelhas. São dele as seguintes palavras: “A ovelha sabe muito bem quando ela é amada. Em Taguatinga, na minha despedida, eu disse à igreja: ‘Não sou pastor de ovelhas, sou pastor de rebanho e lamento não ter podido conviver com cada irmão dessa igreja. Desculpem e Deus abençoe vocês’. Terminando o trabalho um irmão bem simples e bem distante do púlpito me encontrou e disse: ‘Pr. Elizeu, Deus o abençoe. O Sr. falou que lamentava não ser pastor de ovelhas mas nós sabemos e sentimos que o senhor nos ama’. Aquela palavra foi um consolo muito grande para mim”.

Uma última diretriz seguida e destacada pelo Pr. Elizeu é a preocupação em preparar obreiros (e obreiros bons) o tempo todo, para que ao chegar o momento de ausentar-se da igreja não haja a necessidade de importar obreiros. Das cinco igrejas que já pastoreou, em três casos os obreiros que o substituíram foram preparados por ele mesmo.

A ação ministerial desse servo de Deus não se faz sentir apenas do âmbito da igreja. O Pr. Elizeu sempre fez parte da diretoria e conselhos de instituições evangélicas de grande expressão. Durante quase vinte anos vem trabalhando na Sociedade Bíblica do Brasil. Sempre esteve envolvido com a EETAD, cooperando como secretário, tesoureiro ou membro do conselho fiscal, além de participar da diretoria da FAETAD.

Na Casa Publicadora das Assembléias de Deus atuou como vice-presidente e depois como membro do Conselho Administrativo, sendo reeleito por várias vezes. Antes de se transferir para Brasília serviu na CEADER como secretário, tesoureiro e, na gestão anterior, como 2º Vice-Presidente da CEADER. Atualmente é o 1º vice-presidente.

Pr. Elizeu Menezes tem se apresentado como um verdadeiro missionário. As igrejas que já pastoreou sempre se destacaram como igrejas missionárias. Já esteve em mais de dez países pregando a Palavra e dando assistência aos missionários, em sua maioria mantidos por igrejas que ele pastoreou. Considera a visita a Coréia do Sul, onde passou onze dias por ocasião de um Congresso Mundial para o Crescimento da Igreja, como a sua mais importante viagem.

Segundo ele, foi lá que aprendeu como a igreja age no ministério da oração e na organização de grupos familiares. A partir daquela rica experiência buscou empreender um sistema semelhante aqui no Brasil. Por estas e por muitas outras razões, o pastor Elizeu ocupa lugar de destaque no cenário evangélico nacional e principalmente aos olhos de Deus